Menu

Prefeito Wagner Mol é membro efetivo do Fopemimpe

O prefeito Wagner Mol tomou posse, em 12/05, na cidade de Viçosa, como membro efetivo da regional Caparaó do Fórum Permanente Mineiro das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Fopemimpe). O órgão, vinculado à Secretaria de Estado de Desenvolvimento Integrado e Fóruns Regionais, possui representantes de entidades públicas e privadas, tendo como objetivo promover ações e projetos que estimulem a competitividade, a inovação e o fomento aos micro e pequenos negócios.

O Fopemimpe possui instrumentos para levantar demandas específicas, proporcionando aos municípios ferramentas úteis para a promoção do desenvolvimento econômico local e regional. Na região do Caparaó, foram definidos três microterritórios: Viçosa, Ponte Nova e Manhuaçu.

Além do prefeito Wagner Mol, tomaram posse, na ocasião, representantes da Casa do Empresário de Viçosa, das Prefeituras de Matipó e Viçosa, Agência de Desenvolvimento de Desenvolvimento de Viçosa, Associação Comercial e Industrial de Ponte Nova (Acip), Parque Tecnológico de Viçosa e Câmara Municipal de Viçosa.

A função de “Secretaria Regional” será exercida, no primeiro ano, pela Prefeitura de Viçosa, por meio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia). Cumprido tal prazo, a atribuição passará à Prefeitura de Ponte Nova.

 

--

Atenciosamente,

Assessoria de Comunicação/ASCOM
Prefeitura de Ponte Nova
(31) 3819-5454 - ramal 235 / 3819-5485
www.pontenova.mg.gov.br / O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Leia mais ...

Vereadores aprovam Projeto que altera a nomenclatura de cargos no CRAS

Na Palavra Livre da reunião de 22 de maio, o vereador Hermano (PT) comentou sobre o que ele chama de “reviravolta no cenário político”, ocorrida na última semana, destacando que nunca na história do Brasil se deu tanta autonomia e condições para o Ministério Público Federal (MPF) e a Polícia Federal (PF) atuarem. O vereador ressaltou que as investigações precisam ser feitas de forma apartidária e que todos os culpados devem ser punidos.

Confirmando que o atual momento é único, Hermano lembrou que a venda da Vale do Rio Doce no Governo de Fernando Henrique Cardoso nos anos 90 e que o possível pagamento de propinas a deputados para que aprovassem o Projeto de reeleição no ano de 1997 estão sem respostas concretas até o momento, entre outras ações.

“O dever civil nos chama. Temos que ficar atentos porque o cenário nacional está muito complicado”, salientou preocupado o vereador.

 

Leia mais ...

Dupla função de motoristas gera transtornos e riscos aos usuários

A falta de cobradores nas linhas de ônibus do distrito do Pontal e da Serra dos Pinheiros foi o destaque da Palavra Livre da vereadora Fiota (PEN) na reunião plenária de 22 de maio. A dupla função de motoristas tem gerado transtornos e riscos para os usuários, segundo ela, que apontou ainda que o repasse feito ao motorista pela empresa não compensa tamanha responsabilidade. Esta prática tem se tornado comum nas Concessionárias de Transporte Público, tanto das capitais quanto das cidades do interior.

Os motoristas dirigem, recebem passagens em dinheiro ou bilhetes eletrônicos, liberam a roleta e precisam estar atentos ao retrovisor nas paradas durante o desembarque de passageiros. O Código de Trânsito Brasileiro (CTB) proíbe cobrar a passagem com o veículo em movimento como forma de segurança. Por isso, torna-se comum, a fila de pessoas que tentam embarcar, principalmente, nos horários de pico, o que tem atrasado as viagens.

Ainda com relação ao transporte coletivo, Fiota ainda solicitou a disponibilização de ônibus nos horários de 17h e 21h com saída de Palmeiras e destino ao bairro Santa Lúcia, no distrito do Pontal.

Cemig

A vereadora Fiota também solicitou à Companhia Energética de Minas gerais (Cemig) que faça reparos na rede elétrica entre a comunidade da Caiana até a Ilha da Garça. “Está ficando mais de dez horas sem energia no local”, disse Fiota, apontando as constantes reclamações dos moradores.

 

Leia mais ...

Dupla função de motoristas gera transtornos e riscos aos usuários

A falta de cobradores nas linhas de ônibus do distrito do Pontal e da Serra dos Pinheiros foi o destaque da Palavra Livre da vereadora Fiota (PEN) na reunião plenária de 22 de maio. A dupla função de motoristas tem gerado transtornos e riscos para os usuários, segundo ela, que apontou ainda que o repasse feito ao motorista pela empresa não compensa tamanha responsabilidade. Esta prática tem se tornado comum nas Concessionárias de Transporte Público, tanto das capitais quanto das cidades do interior.

Os motoristas dirigem, recebem passagens em dinheiro ou bilhetes eletrônicos, liberam a roleta e precisam estar atentos ao retrovisor nas paradas durante o desembarque de passageiros. O Código de Trânsito Brasileiro (CTB) proíbe cobrar a passagem com o veículo em movimento como forma de segurança. Por isso, torna-se comum, a fila de pessoas que tentam embarcar, principalmente, nos horários de pico, o que tem atrasado as viagens.

Ainda com relação ao transporte coletivo, Fiota ainda solicitou a disponibilização de ônibus nos horários de 17h e 21h com saída de Palmeiras e destino ao bairro Santa Lúcia, no distrito do Pontal.

Cemig

A vereadora Fiota também solicitou à Companhia Energética de Minas gerais (Cemig) que faça reparos na rede elétrica entre a comunidade da Caiana até a Ilha da Garça. “Está ficando mais de dez horas sem energia no local”, disse Fiota, apontando as constantes reclamações dos moradores.

 

Leia mais ...

Vereador José Osório reitera pedido para melhorias no calçamento de acesso ao Conjunto Habitacional Abdalla Felício

O vereador José Osório (PT do B) reiterou à Secretaria Municipal de Obras (Semob), na Palavra Livre da reunião plenária de 22 de maio, a recomposição de calçamento na entrada para o Conjunto Habitacional Abdalla Felício, pois o piso está completamente danificado, causando transtornos aos motoristas.

Entre as outras demanda de Osório, destaca-se a do Departamento Municipal de Trânsito (Demutran). O vereador solicita ao Departamento que determine aos agentes que, ao aplicar a notificação, que a segunda via seja colocada sobre os veículos, como era feito anteriormente, para que os motoristas fiquem cientes no ato da notificação. Solicita ainda que voltem a utilizar os apitos de alerta, em caso de necessidade.

 

Leia mais ...

ONG ABCD | FAZ CAMPANHA E DOAÇÃO AO HNSD

A   Associação Beneficente de Combate às Drogas/ABCD de Ponte Nova - MG  fez   em 20/05,  uma doação ao  HNSD/ Instituto de Oncologia Miguel Bartolomeu, de    55 litros de leite, 110 pacotes de biscoito e uma lata de suplemento. A ação é fruto de uma campanha realizada pela ong e participantes. Os alimentos foram doados  para o café  da manhã e tarde servido aos pacientes e  acompanhantes da oncologia/SUS.   A IHNSD  agradece o gesto de cidadania e  solidariedade dos jovens  e da ABCD.
 Se você sente vontade de ajudar  o hospital de alguma forma,  pode entrar em contato, através da Central de Captação de Recurso da instituição, lá poderá  conhecer mais sobre os projetos e ações de filantropia da instituição. O telefone de contato  da  CECAR é: 31 . 3819 2690. Na foto os participantes da ONG com seu presidente:   Renato de Oliveira Prata e a Enfermeira e Gerente da Oncologia Darlene Bitencourt.

Leia mais ...

Audiência Pública discute retomada das operações da Samarco

A retomada das operações da Samarco, que estão paralisadas há um ano e meio, foi discutida nesta terça-feira (23/5) durante a audiência pública da Comissão de Desenvolvimento Econômico da Assembleia Legislativa de Minas Gerais. Durante a reunião, que contou com a presença de cerca de 400 pessoas, entre deputados, prefeitos, empregados da Samarco, fornecedores e entidades da sociedade civil, foi manifestada a preocupação com a incerteza sobre a data da retomada das atividades da mineradora e os consequentes impactos sobre a atividade econômica e nível de empregos.

 

O diretor-presidente da Samarco, Roberto Carvalho, afirmou que, logo após o rompimento da barragem de Fundão, em novembro de 2015, a Samarco concentrou seus esforços nas ações emergenciais, com foco na assistência humanitária e na remediação dos impactos ambientais. “Nós também nos concentramos no trabalho de reforço das estruturas remanescentes do complexo de barragens e revisamos nosso plano de ações emergenciais. Tornamos mais robusto o sistema de alerta e o centro de monitoramento de barragens.”

 

Roberto Carvalho lembrou que as ações de reparação e compensação socioeconômica e socioambiental continuam em andamento e foram assumidas pela Fundação Renova, criada pelo Termo de Transação de Ajustamento de Conduta (TTAC) assinado em março de 2016 pela Samarco, suas acionistas e os governos federal e dos estados de Minas Gerais e Espírito Santo. Em 2016, a Samarco aplicou R$ 2 bilhões nas ações de reparação e compensação.

 

A Samarco protocolou, em junho de 2016, na Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Minas Gerais (Semad), o estudo de impacto ambiental do sistema de disposição de rejeitos da Cava de Alegria Sul. Trata-se de um espaço confinado, sem conexão com a área de barragens. Após a concessão da licença, a Samarco precisará de cinco meses para preparar o local.

 

A outra autorização necessária para a Samarco voltar a operar é a Licença Operacional Corretiva (LOC) das estruturas existentes no complexo de Germano, em Mariana. A LOC foi exigida pela Semad após a suspensão de todas as licenças da Samarco, em outubro de 2016.

 

No entanto, para protocolar a LOC junto à Semad, a Samarco ainda depende de uma declaração de conformidade da estação de captação de água existente em Santa Bárbara. Esse município condicionou a entrega da declaração a contrapartidas ambientais, mas recente decisão do Tribunal de Justiça de Minas Gerais determinou que apenas a legislação de uso e ocupação do solo deverá ser levada em conta. Já concederam o documento as prefeituras de Mariana, Ouro Preto, Matipó e Catas Altas.

“Hoje, após um ano e meio sem operar, nós não podemos falar claramente em que data a Samarco voltará à atividade. Ainda são muitas indefinições e etapas a cumprir, o que pode ampliar ainda mais as consequências. É um efeito dominó que impacta a sociedade. Um exemplo que observamos é a diminuição da oferta de empregos, a queda da arrecadação municipal. Isso pode gerar falta de perspectiva nas pessoas, nas empresas, e reduz a circulação de riquezas”, afirmou Roberto Carvalho.

 


Atividade vital

O presidente da Comissão de Desenvolvimento Econômico, deputado Roberto Andrade, defendeu o retorno da Samarco. “Como presidente da Comissão de Desenvolvimento Econômico, tenho o dever de buscar políticas públicas que fomentem o desenvolvimento do estado de maneira sustentável e com respeito à legislação trabalhista e ambiental, compromisso do qual jamais abrirei mão”, afirmou Roberto Andrade. “No entanto, para que a Samarco repare os danos do acidente, entendo que o retorno dos trabalhos da empresa é indispensável. A mineração é uma atividade vital para a economia de muitos municípios que, após a interrupção do funcionamento da Samarco, tiveram queda na arrecadação, o que gerou desemprego e carência de recursos públicos.”


Legitimidade

A audiência contou com a presença do superintendente de mineração da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Guilherme Augusto Duarte de Faria, que manifestou apoio ao retorno das operações da Samarco, dentro dos princípios da legalidade, das normas ambientais e respeito aos trâmites necessários. O superintendente informou ainda que o governo do Estado acompanha as ações de reparação, que darão legitimidade à volta das atividades.

O prefeito de Mariana (MG), Duarte Eustáquio Gonçalves Júnior, lembrou que 89% da receita de Mariana vêm da atividade mineral e defendeu a volta das operações da Samarco. “Não está dando mais para segurar”, disse o prefeito, que alertou para o crescimento do desemprego na cidade. “O que a gente precisa é que essas licenças sejam analisadas”, afirmou.

O prefeito de Anchieta (ES), Fabrício Petri, onde a Samarco tem suas plantas de pelotização, também defendeu o retorno das operações. Conforme Petri, a cidade experimentou queda de arrecadação após a paralisação da empresa e teve necessidade de readequar os serviços públicos.

O vice-presidente da Fiemg, Alberto Salum, também manifestou apoio à retomada das operações. “Agora precisamos e podemos construir um novo final para o desastre, com justiça e criação de oportunidades através da retomada das operações da empresa”, afirmou.

 

A Samarco

A empresa possui duas unidades operacionais: Germano, em Mariana (MG), onde é realizada a extração e o beneficiamento de minério de ferro em três concentradores; e Ubu, em Anchieta (ES), onde estão quatro usinas de pelotização e um porto. As unidades são interligadas por três minerodutos de 400 quilômetros de extensão, que atravessam 25 municípios.

Em 2015, ano do rompimento da barragem de Fundão, a Samarco produziu 24,9 milhões de toneladas, sendo 97% em pelotas e 3% em finos de minério de ferro. Naquele ano, a Samarco foi a 12ª maior exportadora do Brasil e gerou 3.027 empregos diretos, dos quais 1.736 em Minas Gerais e 1.291 no Espírito Santo. Em 2011, quando o minério de ferro atingiu cotações recordes, a Samarco foi a 4ª maior exportadora do país.

 

 

Assessoria de Imprensa - Samarco

(31) 3269-8844 / 3269-8838 / 3269-8927 –  O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Leia mais ...

Ex-vereador fala da importância histórico-cultural do Cemitério dos Escravos

O Cemitério dos Escravos localizado no distrito do Pontal foi o assunto discutido na Tribuna Livre da reunião plenária de 18 de maio, por Sebastião Afonso Barbosa (Sebastião 50). O atual vice-presidente da Guarda Mirim foi vereador na Legislatura 1997/2000 e, autor da Lei que trata do Tombamento do cemitério.

O Projeto de Lei foi apresentado à Câmara em 1999 e, segundo Sebastião, sua tramitação até a aprovação foi conturbada, uma vez que informações distorcidas foram disseminadas na comunidade.

O processo de registro do Cemitério dos Escravos como patrimônio cultural do município de Ponte Nova foi concluído em 2016 “Uma história que não pode morrer. Muita gente não conhece o Cemitério dos Escravos em Ponte Nova”, disse Sebastião reforçando a importância de se manter o local. Porém, ele contesta que não foi instalada nenhuma placa de Tombamento no local. “Será que é falta de interesse do prefeito? O Pontal tem uma relíquia”, destacou ele.

Sebastião solicitou o empenho da Câmara para melhorias no cemitério e entregou à vereadora Fiota (PEN) o dossiê de Tombamento do mesmo para que ela lei e possa dar prosseguimento nas ações de preservação do local. A vereadora destacou que buscará meios para que o Cemitério dos Escravos seja um permanente ponto de visitação. Os demais vereadores também comentaram sobre o cemitério e sua importância histórico-cultural para o município.

 

Leia mais ...

Mesa Diretora apresenta Projeto que altera artigo do Código Tributário para evitar dupla interpretação

O Projeto de Lei Complementar (PLC) nº 1/2017, de iniciativa da Mesa Diretora da Câmara, que altera a Lei Complementar nº 2.058/1995 (Código Tributário Municipal) foi encaminhado às Comissões de Finanças, Legislação e Justiça e de Serviços Públicos Municipais na reunião plenária de 18 de maio.

O PLC visa pequena alteração no art. 259 do Código Tributário que trata das penalidades de juros e multas por pagamentos dos tributos após as datas de vencimentos. Pelo parágrafo único deste artigo, as multas são escalonadas: 2% do valor do tributo para atrasos até 30 dias; 6% para atrasos até 90 dias e 15% para atrasos superiores a 90 dias.

Ocorre que a alínea “b” que se pretende alterar, na forma como está redigida, acaba por se confundir com a alínea “a”, considerando que ao definir a multa em “6% do valor corrigido do tributo se recolhido dentro de 90 dias contados da data do vencimento”, pode dar a entender que a multa será de 6% também para recolhimentos dentro de 30 dias a contar da data do vencimento, contrariando a alínea “a”, que explicita a multa de 2% para esses casos.

Dessa forma, o que se propõe é apenas incluir na alínea “b”, de forma explícita, que o prazo para recolhimento com multa de 6% começa a vigorar após os 30 dias e vai até os 90 dias de atraso, evitando qualquer dupla interpretação, já que a alínea “a” garante aos contribuintes a multa de apenas 2% para atrasos até os 30 dias.

Leia mais ...

JANTAR BENEFICENTE- SABOR DA SOLIDARIEDADE

A Maçonaria de Ponte Nova - MG promoverá mais uma edição do Jantar Beneficente . Este ano ele acontecerá em 24/6, no Centro de Eventos Babilônia a partir das 20h. Ajude  na aquisição de ingressos e na divulgação. A renda deste jantar será em favor do Albergue Municipal e para o Instituto de Oncologia Miguel Bartolomeu - Hospital do Câncer de Ponte Nova. Os ingressos podem ser adquiridos na Central de Captação de Recursos do hospital pelo número: 31- 3819 2690, ou nas assessorias e gerências do Hospital, e na OAB Ponte Nova, no valor de R$50,00.

Leia mais ...
Assinar este feed RSS

Notícias Regionais

Brasil e Mundo

Ponte Nova

Colunistas

Serviços

  • Esqueceu sua senha?
  • Esqueceu seu usuário?